Lista de Runnas Commands (Comandos Executar) no Windows

Compatibilidade: Você pode executar a maioria dos comandos no Windows XP, ME, 2000, 2003, 2008, Vista ou 7.

Lista de comandos do Executar:

Adicionar novo hardware:hdwwiz.cpl
Adicionar/Remover Programas: appwiz.cpl
Administrador de Fonte de Dados ODBC: odbccp32.cpl
Adobe Acrobat (Executar se instalado ):acrobat
Adobe Designer (Executar se instalado ):acrodist
Adobe ImageReady (Executar se instalado ):imageready
Adobe Photoshop (Executar se instalado ):photoshop
Ajuda e suporte:helpctr
Ajustar Monitor:perfmon.msc
Armazenamento Removível: ntmsmgr.msc
Arquivos compartilhados:fsmgmt.msc
Assistente de acessibilidade:accwiz
Assistente de Câmeras e Scanners:sticpl.cpl
Assistente de controles:access.cpl
Assistente para Adicionar Hardware: hdwwiz.cpl
Assistente para Configuração de Rede: netsetup.cpl
Assistente para Transferência de Arquivos Bluetooth: fsquirt
Assistente para transferência de arquivos e informações:migwiz
Atualizações Automáticas: wuaucpl.cpl
Bate-Papo: winchat
Bloco de notas:notepad
Busca rápida:findfast.cpl
Calculadora: calc
Catalogo Telefônico:rasphone
Central de Segurança do Windows: wscui.cpl
Certificados: certmgr.msc
Checagem de disco: chkdsk
Cliente de Telnet: telnet
Compartilhamentos DDE: ddeshare
Conectar-se ao Site do Windows Update: wupdmgr
Conexão de Área de Trabalho Remota: mstsc
Conexões de Rede: control netconnections
Conexões de Rede: ncpa.cpl
Configuração de protocolo de Internet (Deletar informações de DNS ):ipconfig /flushdns
Configuração de protocolo de Internet(Visualizar DNS ):ipconfig /displaydns
Configuração do IP (Atualiza todas as concessões DHCP e registra novamente nomes DNS): ipconfig /registerdns
Configuração do IP (Exibe informações completas da Configuração da Conexão): ipconfig /all
Configuração do IP (Exibe todas as identificações de classe DHCP permitidas para o adaptador): ipconfig /showclassid
Configuração do IP (Libera o endereço IP para o adaptador especificado): ipconfig /release
Configuração do IP (Modifica a identificação de classe DHCP): ipconfig /setclassid
Configuração do IP (Renova o endereço IP para o adaptador especificado): ipconfig /renew
Configurações Locais de Segurança: secpol.msc
Configurações regionais:intl.cpl
Conjunto de Directivas Resultantes (P/ Windows XP Professional): rsop.msc
Contas de Usuário: control userpasswords2
Contas de Usuário: nusrmgr.cpl
Controladores de Jogo: joy.cpl
DDE Shares:ddeshare
Definições locais de segurança: secpol.msc
Desempenho: perfmon.msc
Desfragmentador de Discos:dfrg.msc
Desligar o Windows: shutdown
Direct X Control Panel (Se instalado )*:directx.cpl
Direct X Troubleshooter:dxdiag
Discador:dialer
Dr. Watson System Troubleshooting Utility:drwtsn32
Driver Verifier Utility:verifier
Editor de Caracteres Particulares: eudcedit
Editor de Configuração do Sistema: sysedit
Editor de Registros:regedit
Editor de Registros:regedit32
Event Viewer:eventvwr.msc
Fazer Logoff do Windows:logoff
Fazer Logoff: shutdown -l
Ferramenta de Diagnóstico do Direct X: dxdiag
Ferramenta de remoção de software Mal intencionado:mrt
Ferramenta para Sincronização:mobsync
Ferramentas administrativas: control admintools
Findfast: findfast.cpl
Firefox (Executar se instalado ):firefox
Firewall do Windows: firewall.cpl
Fontes: control fonts
Fonts (Pasta):fonts
Gerenciador  do Computador: compmgmt.msc
Gerenciador de Certeficados:certmgr.msc
Gerenciador de Discos: diskmgmt.msc
Gerenciador de Dispositivos: devmgmt.msc ou hdwwiz.cpl
Gerenciador de Instrumentação do Windows: wmimgmt.msc
Gerenciador de Objetos:packager
Gerenciamento de Discos:diskmgmt.msc
Gerenciamento de dispositivos:devmgmt.msc
Gerenciamento de partição de Discos:diskpart
Gerenciamento do computador:compmgmt.msc
Gestão de Discos: diskmgmt.msc
Gestor de Objetos – Pacote: packager
Gestor de Tarefas: taskmgr
Gestor de Usuários do Wint Server (somente windows2003 server): usrmgr
Gestor de Utilitários: utilman
Gestor de Verificação de controladores: verifier
Gestor do Computador: compmgmt.msc
Group Policy Editor (XP Prof):gpedit.msc
HyperTerminal:hypertrm
Iexpress Wizard:iexpress
Impressoras e Aparelhos de Fax: control printers
Impressoras e Faxes:control printers
Indexing Service:ciadv.msc
Instalador do Active Directory (P/ Windows Server 2003): dcpromo
Internet Connection Wizard:icwconn1
Internet Explorer:iexplore
Introdução ao Windows XP: tourstart
Janela das Ligações de Rede: ncpa.cpl
Janela de comandos DOS:cmd
Jogo de cartas:mshearts
Jogo FreeCell:freecell
Lente de Aumento: magnify
Limpeza de Disco: cleanmgr
Logoff do Windows: logoff
Mapa de Caracteres: charmap
Microsoft Access (Executar se instalado ):access.cpl
Microsoft Excel (Executar se instalado ):excel
Microsoft Frontpage (Executar se instalado ):frontpg
Microsoft Movie Maker (Ferramenta para edição de filmes caseiros):moviemk
Microsoft Paint (Famoso Paint Brushe ):mspaint
Microsoft Powerpoint (Executar se instalado ):powerpnt
Microsoft Word (Executar se instalado ):winword
Minesweeper Game (Jogo ” Mina “):winmine
Nero (Executar se instalado ):nero
Netmeeting (Sofwtare para comunicação, utilizado geralmente em empresas de pequeno porte ):conf
Nview Desktop Manager (Executar se instalado ):nvtuicpl.cpl
Opções de Acessibilidade: verifier
Opções de Pasta: control folders
Opções de Telefone e Modem: telephon.cpl
Opções Regionais e de Idioma: intl.cpl
Opens AC3 Filter (Executar se instalado ):ac3filter.cpl
Outlook Express:msimn
Painel de controle Java (Executar se instalado ):javaws
Painel de controle Java (Executar se instalado ):jpicpl32.cpl
Painel de Controle:control
Painel de Controlo do Direct X (se estiver instalado): directx.cpl
Paint:pbrush
Password Properties: password.cpl
Pasta de impressoras:printers
Pasta Fontes: fonts
Pasta Impressoras: printers
Pastas Partilhadas: fsmgmt.msc
Performance Monitor: perfmon.msc
Pinball Game:pinball
Politicas de Grupo: gpedit.msc
Programas e Recursos: appwiz.cpl
Propriedades da Internet:inetcpl.cpl
Propriedades de Data e Hora: timedate.cpl
Propriedades de Internet: inetcpl.cpl
Propriedades de Opções de Energia: powercfg.cpl
Propriedades de senha:password.cpl
Propriedades de Som e Dispositivos de Áudio: mmsys.cpl
Propriedades de Teclado: control keyboard
Propriedades de Vídeo (com a aba Aparência já selecionada): control color
Propriedades de Vídeo (Já na Aba Aparência): control color
Propriedades de Vídeo: control desktop
Propriedades de Vídeo: desk.cpl
Propriedades do Mouse:control mouse
Propriedades do Mouse:main.cpl
Propriedades do Sistema: sysdm.cpl
Propriedades do teclado:control keyboard
Protegendo Banco de Dados de Contas do Windows XP: syskey
Quicktime Player (Se instalado executar o Quick Time ):quicktimeplayer
Real Player (Se instalado Executar o Real player ):realplay
Reiniciar: shutdown -r
Resultant Set of Policies: rsop.msc
Scanners e Câmeras: sticpl.cpl
Serviço de Indexação: ciadv.msc
Serviços de Componentes: comexp.msc
Serviços de Componentes: dcomcnfg
Serviços: services.msc
Setup de Conexões de rede:netsetup.cpl
Sistema de checagem de arquivos (Limpa cache de arquivo): sfc /purgecache
Sistema de checagem de arquivos (Pesq. todos os APS/cada inicializ.): sfc /scanboot
Sistema de checagem de arquivos (Pesquisa todos os APS): sfc /scannow
Sistema de checagem de arquivos (Restaura pesquisa/valores padrões): sfc /revert
Sistema de checagem de arquivos : sfc /cachesize=x
Solicitações do Operador de Armazenamento Removível: ntmsoprq.msc
Solitário (Jogo):spider
Som e áudio:mmsys.cpl
SQL Client Configuration:cliconfg
Suporte a Configurações da Internet:inetwiz
System Configuration Editor:sysedit
System Configuration Utility:msconfig
System File Checker (Define o tamanho de cache): sfc /cachesize=x
System File Checker (Limpa o cache do arquivo): sfc /purgecache
System File Checker (Pesquisa imediatamente todos os APS a cada inicialização): sfc /scanboot
System File Checker (Pesquisa imediatamente todos os APS): sfc /scannow
System File Checker (Restaura a pesquisa à configuração padrão): sfc /revert
System File Checker Utility (Purge File Cache):sfc /purgecache
System File Checker Utility (Return to Default Setting):sfc /revert
System File Checker Utility (Scan Immediately):sfc /scannow
System File Checker Utility (Scan On Every Boot):sfc /scanboot
System File Checker Utility (Scan Once At Next Boot):sfc /scanonce
System File Checker Utility (Set Cache Size to size x):sfc /cachesize=x
System Information:msinfo32
System Properties:sysdm.cpl
Tarefas Agendadas: control schedtasks
Task Manager:taskmgr
TCP Tester:tcptest
Teclado virtual:osk
Telnet Client(Executar Telnet):telnet
Tweak UI (Se instalado ):tweakui
User Account Management (Controlar Contas de usuário ):nusrmgr.cpl
Usuários e Grupos locais:lusrmgr.msc
Utilitário de Configuração do Sistema: msconfig
Utilitário de Rede para Clientes do SQL Server: cliconfg
Utility Manager:utilman
Utilizadores Locais e Grupos: lusrmgr.msc
Verificação de Assinatura de Arquivo: sigverif
Visualizador da Área de Transferência: clipbrd
Visualizador de Eventos: eventvwr.msc
Windows Address Book (Serviço para guardar lista de contatos ):wab
Windows Address Book Import Utility (Serviço para importar lista de contatos):wabmig
Windows Backup Utility (Fazer Backup ):ntbackup
Windows Explorer (Executar Explorer):explorer
Windows Firewall (Executar Firewall):firewall.cpl
Windows Magnifier:magnify
Windows Management Infrastructure: wmimgmt.msc
Windows Media Player (Executar Media player ):wmplayer
Windows Messenger (Executar MSN):msmsgs
Windows Picture Import Wizard (Precisa estar com a camera instalada ):wiaacmgr
Windows System Security Tool (ferramenta de segurança do windows ):syskey
Windows Update Launches (ver updates ):wupdmgr
Windows Version (Ver a versão do Windows ):winver
Windows XP Tour Wizard (Tour Windows):tourstart
Wordpad:write

PROCESSADORES COM MULTIPLOS THREADS

Olá pessoal.

Em uma discussão saudavel com alguns amigos surgiu uma duvida do que era exatamente uma thread de um precessador.

Fui em busca de varios sites uma boa explicação inclusive no site da Intel.

 

A execução de um programa

Antes de falarmos exatamente sobre as threads, precisamos entender como os processadores e os sistemas operacionais trabalham com os aplicativos. Basicamente, a execução de um programa dá-se, em um primeiro instante, em uma ação do sistema operacional. Quando o usuário abre um aplicativo, o sistema operacional interpreta a ação e requisita que os arquivos relacionados a esse software sejam executados.

Claro que qualquer atividade do sistema operacional está sujeita à operação do processador. Todavia, antes que um programa esteja aberto e realmente requisite o trabalho em massa da CPU, ele é apenas carregado na memória RAM, o que não exige uma atividade do processador.

Processos e threads

Ao efetuar o carregamento de um programa, o sistema operacional trabalha com processos. Cada software possui um processo (alguns utilizam árvores de processos), cada qual com respectivas instruções para o processador saber como proceder na hora de efetuar os cálculos.

Os processos e as threads

Os chamados “processos” são módulos executáveis, os quais contêm linhas de código para que a execução do programa seja realizada apropriadamente. Isso quer dizer que o processo é uma lista de instruções, a qual informa ao processador que passos devem ser executados e em quais momentos isso acontece.

Os processadores trabalham muito bem com os processos, mas a execução de muitos processos simultaneamente acarreta na lentidão da CPU. Isso ocorre porque, mesmo um processador tendo dois ou mais núcleos, existe um limite para ele.

Uma CPU com dois núcleos, por exemplo, pode trabalhar com dois processos simultaneamente. No entanto, se você pressionar as teclas “Ctrl + Shift + Esc”, vai verificar que o sistema operacional trabalha com dezenas de processos ao mesmo tempo. No entanto, tudo parece rodar perfeitamente na sua tela.

Processos em execução

Explicar isso é bem simples. Suponha que estamos tratando de uma CPU com dois núcleos. Em teoria, ela é capaz de executar dois programas ao mesmo tempo. Contudo, você está com seis programas abertos e todos respondendo em tempo real.

O processador consegue trabalhar com todos os aplicativos e apresentar resultados satisfatórios devido à velocidade de processamento. Sendo assim, “parece” que os processos são executados simultaneamente.

A princípio, a presença de múltiplos núcleos era suficiente para a maioria dos usuários. Todavia, a evolução dos softwares e dos componentes de hardware requisitou uma divisão ainda melhor das tarefas. As linhas de instruções dos processos adquiriram características únicas, que possibilitaram separá-las para execuções em diferentes núcleos.

Cada processo com suas threads

Essas linhas de instruções ficaram conhecidas como threads, mas muita gente preferiu traduzir a palavra “thread” para tarefa. A questão é que o nome em si não faz diferença, visto que, de certa maneira, uma linha de instrução é uma tarefa que o processador deverá realizar. Entretanto, algumas coisas mudaram no processador.

As threads nos processadores

Enfim, chegamos ao ponto que interessa. Como já vimos, a thread é uma divisão do processo principal de um programa. Todavia, nem todos os processos são divididos em múltiplas threads, assim como nem todos os processadores são capazes de trabalhar “tranquilamente” com uma enormidade de threads.

Os mais recentes processadores vêm com especificações quanto aos núcleos e às threads. E como saber o que exatamente isso significa? Vamos tomar como exemplo o processador Intel Core i7 2600. Verificando no site da fabricante, temos a informação de que esse modelo vem com quatro núcleos e tem suporte para trabalhar com até oito threads.

Threads no Intel Core i7 2600

Isso quer dizer que essa CPU pode trabalhar com quatro processos indivisíveis simultaneamente (um em cada núcleo) ou com até oito linhas de execução (threads) — as quais podem ou não ser de um mesmo processo. Saber como cada aplicativo é executado dentro do processador não é tão simples, mas o que importa é ter noção de que existem aplicativos que serão executados de uma maneira mais satisfatória nas CPUs mais novas.

Vale ressaltar que não é garantido que um processador multithread sempre apresente maior desempenho. Contudo, a chance de aumento na eficiência é grande, pois, tendo suporte para trabalhar com múltiplas threads, é mais provável que a CPU execute mais programas ao mesmo tempo.

 

OBS: Uma thread nada mais é que uma quantidade de tarefas de podem serem executadas simultaneamente em um core de processador. O Windows 7 entende que cada THREAD é um processador lógico. Então se você tiver um processador de 4 núcleos com 8 threads o Windows entenderá que o computador tem 8 CPUs.

 

Abaixo postei um video que explica muito bem o que é Thread.

 

CABO PROGRAMADOR CENTRAIS ANALOGICAS INTELBRAS DB9/USB

 

Autor:
Felipe Fazzani

Publicação:
22 de Março de 2012

Este tutorial se aplica a:
CENTRAIS ANALOGICAS INTELBRAS.

Divisão.

TELECOMINICAÇÃO

OVERVIEW

Neste TUTORIAL irei encinar como fazer  montagem do cabo programado de “CENTRAIS ANALOGICAS INTELBRAS”. Ou seja, montar o cabo que conecta a central PABX ao computador permitindo programar a central via software ou até mesmo usar um spftware de bilhetagem.

O Cabo pode funcionar via USB usando um conversor USB/Serial ou somente Serial.

REQUISITOS

1 – MULTIMETRO (NECESSARIO PARA FAZER TESTE DOS CABOS)

1 – CONECTOR SERIAL DB9 RJ45 FEMEA

 

DB9 RJ45DB9 RJ45 2

 

1 – CONVERSOR USB/SERIAL

CONVERSOR USB

 

Solução.

 

Primeiramente é necessario entender qual o esquema do conector DB9.

 

Conector DB9

O conector DB9 (inicialmente chamado DE -9) é uma ficha analógica, comportando 9 pinos, da família dos conectores D-Subminiaturas (D-Sub ou SubD).

O conector DB9 serve essencialmente para as ligações séries, permitindo a transmissão de dados assíncrona de acordo com a norma RS-232 (RS-232C).

 

Prises DB9

Número Nome  
     
1 CD – Carrier Detect Detecção de portador
2 RXD – Receive Data Recepção de dados
3 TXD – Transmit Data Transmissão de dados
4 DTR – Data Terminal Ready Terminal pronto
5 GND – Signal Ground Massa lógica
6 DSR – Data Set Ready Dados prontos
7 RTS – Request To Send Pedido de emissão
8 CTS – Clear To Send Empréstimo a emitir
9 RI – Ring Indicator Indicador de campainha eléctrica
  Shield Blindagem

 

OBS. SE ATENTE PARA CONECTAORES MACHOS E FÊMEAS. CONECTOR MACHO O PINO “1” COMEÇA DA ESQUEDA PARA DIREITA E FÊMEAS O CONECTOR “1” DA DIREITA PARA ESQUEDA COMO MOSTRA A FIGURA ACIMA.

 

ESQUEMA DE GRIMPAGEM DE CABO (norma EIA/ TIA 568 A):

norma EIA TIA 568 A

 

 

AGORA QUE SABEMOS OS DOIS ESQUEMAS NECESSARIO FAVERMOS O SEGUINTE.

 

1 – Montamos um contector RJ45 Macho em um cabo de rede no padrão TIA 568 A citado acima em uma cabo de rede com no maximo 10mt (metros). Se o cabo passar desses 10mt não há uma garantia que o mesmo funcione.

2 – Montaremos DB9 RJ45 no seguinte esquema.

 

 

 

 

 

OLÁ SENHORES.

Faz tempo que eu não passo por aqui! Sabe né agora eu sou Pai e ficou meio complicado. Porém sei que vou me acostumar logo com essa nossa fase maravilhasa mais que consome muito do meu tempo e me reorganizar para postar mais aqui no blog.

RESTRICTED GROUPS OU GRUPOS RESTRITOS.

 

Olá pessoal. Hoje estou passando por aqui para explicar como funciona a policy (política) RESTRICTED GROUPS e sua finalidade.

 

REQUISITOS.

ACTIVE DIRECTORY

CONHECIMENTO NECESSARIO.

GPO, ACTIVE DIRECTORY

ONDE SE APLICA.

WINDOWS 2000, WINDOWS 2003, WINDOWS 2008, WINDOWS 2008R2.

O QUE ESSE TUTORIAL ABORDA?

DELEGANDO CONTROLE A COMPUTADORES E/OU SERVIDORES.

PROTEGENDO GRUPOS ADMINISTRADORES DE COMPUTADORES E/OU SERVIDORES.

 

Em muitos ambientes desejamos delegar controle a servidores e/ou computadores a certos grupos e/ou pessoas de suporte sem adicionar o mesmo ao grupo padrão do domínios domain admin. Ou então proteger de adição indevida de grupos ou usuários ao grupo padrão administrators (administradores) dos computadores e/ou servidores.

Com a policy (politica) RESTRICTED GRUPOS isso é possível.

 

Com o RESTRICTED GRUPOS é possível controlar os membros dos grupos locais de maquina ou do Active Directory.

 

Para criar um RESTRICTED GRUPOS é necessário criar uma GPO é linkar em uma OU onde se encontra os computadores que deseja aplica-lá.

NOTA: RESTRICTED GRUPOS não é configurado por padrão.

O RESTRICTED GRUPOS é um nó ou uma policy na GPO de computador. E está localizada em COMPUTER CONFIGURATION\POLICIES\WINDOWS SETTINGS\SECURITY SETTINGS\RESTRIC GROUPS TED 

Como mostra a figura abaixo.

  image

 

Há duas maneiras diferentes de usar o RESTRICTED GRUPOS.

 

image

Member of this Group -  Está configuração permite você controlar os membros do grupo que você especificou na politica. Quando você especifica os membros desse grupo ele irá sobrescrever os membros do grupo já existente.

Exemplificando.

Vamos supor que faz pouco tempo que você foi admitido na empresa Takatissumi. Nessa empresa há 500 computadores espalhados pelos setores. Você notou que em diferentes maquinas há membros do grupo Administradores distintos. Seu chefe solicita então que só deverão ter privilégios administrativos a esse computadores os Grupos “Domain Admins” e “GL_Suporte_Desk”. E nenhum outro grupo deverá ser adicionado manualmente.

São 500 maquinas imagine o trabalho de ir em uma em uma maquina definir o escopo solicitado por seu chefe. E mesmo assim você não estará atingindo-a solicitação de proteger quem é adicionado manualmente ao grupo Administradores.

Para esse escopo você pode usar o RESTRICTED GRUPOS Member of this Group.

Você deverá criar uma OU com todos com computadores. Criar uma GPO e linkar na OU recém criada. Após editar a GPO ir até RESTRICTED GRUPOS e adicionar o Grupo administradores.

image

E depois configurar os usuários e/ou grupos que você deseja em Member of this Group. Que em nosso caso é “Domain Admins” e “GL_Suporte_Desk”.

image

Pronto. Quando essa GPO for aplicada será removidos os membros do grupo Administradores das maquinas locais e Adicionados os grupos “Domain Admins” e “GL_Suporte_Desk”.

É fácil de entender a Logica do Member of this Group. Você define o grupo que deseja aplicar a politica, e posteriormente define quem serão os membros desse grupo.

 

This group is a member of – Está configuração permite você adicionar usuários e/ou grupos há grupos locais de maquinas ou grupos locais do AD.

Exemplificando.

Seguindo o Cenário descrito acima seu chefe informou que há um novo Grupo para Suporte nos 30 Servidores chamado “GL_Suporte_Serv” e que esse grupo deve ter privilégios administrativos nos servidores ser ter privilégio nos desktops e DC do domínio. Ele também informa que há grupos adicionados manualmente ao grupo Administradores na maiores desses servidores e os mesmos devem permanecer.

Então você deverá criar um OU chamada “SERVIDORES” mover os servidores para essa OU recém criada, criar um gpo e linkar a essa OU. Após editar a GPO ir até RESTRICTED GRUPOS e adicionar o Grupo “GL_Suporte_Serv” e em This group is a member of adicionar o grupo “Administrators” e clicar em aplicar.

image

 

Pronto. Quando essa GPO for aplicada o Grupo “GL_Suporte_Serv” fará parte do grupos local administrators dos servidores na OU Servidores..

É fácil de entender a Logica do This Group is member of. Você define o grupo que deseja aplicar a politica, e posteriormente define de quais grupos ele fará parte.

O que é o Active Diretory?

Active Directory Domain Services

O Active Directory é uma implementação de serviço de diretório no protocolo LDAP que armazena informações sobre objetos em rede de computadores e disponibiliza essas informações a usuários e administradores desta rede. É um software da Microsoft utilizado em ambientes Windows.

O Active Directory surgiu da necessidade de se ter um único diretório, ou seja, ao invés do usuário ter uma senha para acessar o sistema principal da empresa, uma senha para ler seus e-mails, uma senha para se logar no computador, e várias outras senhas, com a utilização do AD, os usuários poderão ter apenas uma senha para acessar todos os recursos disponíveis na rede. Podemos definir um diretório como sendo um banco de dados que armazena as informações dos usuários e outros objetos.

O AD surgiu juntamente com o Windows 2000 Server. Objetos como usuários, grupos, membros dos grupos, senhas, contas de computadores, relações de confiança, informações sobre o domínio, unidades organizacionais, etc, ficam armazenados no banco de dados do AD. Além de armazenar vários objetos em seu banco de dados, o AD disponibiliza vários serviços, como: autenticação dos usuários, replicação do seu banco de dados, pesquisa dos objetos disponíveis na rede, administração centralizada da segurança utilizando GPO, entre outros serviços. Esses recursos tornam a administração do AD bem mais fácil, sendo possível administrar todos os recursos disponíveis na rede centralizadamente.

Para que os usuários possam acessar os recursos disponíveis na rede, estes deverão efetuar o logon. Quando o usuário efetua logon, o AD verifica se as informações fornecidas pelos usuários são válidas e faz a autenticação, caso essas informações sejam válidas. O AD é organizado de uma forma hierárquica, com o uso de domínios. Caso uma rede utilize o AD, poderá conter vários domínios. Um domínio é nada mais do que um limite administrativo e de segurança, ou seja, o administrador do domínio possui permissões somente no domínio, e não em outros domínios. As políticas de segurança também se aplicam somente ao domínio, e não a outros domínios. Resumindo: diferentes domínios podem ter diferentes administradores e diferentes políticas de segurança.

Nos domínios baseados no AD, podemos ter dois tipos de servidores: Controlador de Domínio (DC – Domain Controller) e Servidor Membro (Member Server).

Para a instalação do AD é necessário que o serviço DNS esteja disponível, ou seja, é um pré-requisito para a instalação do AD. O AD utiliza o DNS para a nomeação de servidores e recursos, e também para resolução de nomes. Caso o serviço DNS não esteja disponível na rede durante a instalação do AD, poderemos instalá-lo durante a instalação do AD.

Com a utilização de domínios, podemos fazer com que nossa rede reflita a estrutura de uma empresa. Quando utilizamos vários domínios temos o conceito de relação de confiança. A relação de confiança permite que os usuários de ambos os domínios acessem os recursos localizados nesses domínios. No Windows 2000, as relações de confianças são bidirecionais e transitivas, ou seja, se o domínio X confia no domínio Y, e Y confia no domínio W, o domínio X também confia no domínio W.

O “diretório ativo” permite que os administradores atribuam à empresa políticas gerais, instalem programas em um grande número de computadores e apliquem updates críticos a uma organização inteira. O “diretório ativo” armazena informações e parâmetros em uma base de dados central organizada e acessível.

As redes ativas do diretório podem variar desde uma instalação pequena, com cem objetos, a uma instalação grande, com milhões de objetos. O Active Directory teve uma pré-estreia em 1999 e foi lançado primeiramente com o Windows 2000. Mais tarde, foi revisado para estender a sua funcionalidade e melhorar a administração para uma nova versão, conhecida como ‘Windows Server 2003′.

O Active Directory é um conjunto de arquivos localizados no servidor de domínio, no qual estão todas as informações que permitem controlar o acesso dos usuários à rede. Nele ficam registrados os nomes e senhas de usuários, suas permissões de acesso a arquivos, impressoras e outros recursos da rede, as cotas de disco, os computadores e horários que cada usuário pode utilizar, etc.

LIBERANDO ACESSO RDP (TERMINAL SERVER) PARA ISA SERVER 2006

Olá pessoal. Hoje estou passando aqui para mostrar para vocês como liberar o acesso remoto terminal server para o ISA SERVER 2006

Requisitos.

ISA SERVER 2006.

Conhecimentos necessários.

Windows server 2003

ISA SEVER 2006

O que esse tutorial aborda

-Acesso remoto RDP para o ISA SERVER 2006

Um descuido  muito comum entre os usuário é liberar o tráfego RDP da rede interna para o ISA Server 2006 através da System Policy e não se lembrar de configurar o Windows 2003 para aceitar as conexões RDP.

Então esse será nosso primeiro passo!

 

No host ISA SERVER 2006, logado com um usuário com privilégios administrativos clique com o botão direito no mouse em “Meu Computador” e logo em seguida em propriedades.

liberandots01

1- Clique na aba “Remoto”

2-  Marque o checkbox “Habilitar a Á rede de Trabalho Remota neste computador”

3-  Clique no botão “Selecionar usuários remotos”

liberandots02

 

Agora vamos seleciona o usuário que terá acesso através do RDP

1- Clique em adicionar.

2- Escreva o nome do usuário.

3- Clique em OK.

OBS. Lembrando que usuário que pertencem ao grupo “Administradores” já tem permissão de acesso através do RDP.

liberandots03

Agora abra o console do ISA SERVER 2006.

Clique e Firewall Policy com o Botaão direito do mouse. Agora clique em Edit System Policy.

liberandots04

Nas configurações da System Policy navegue até Remote Management –> Terminal Server.

Agora ao lado direito

1 – Clique em, ADD.

2- Expanda Networks selecione rede Internal

3- Clique em add e close e OK.

4 – Clique em Close.

5 – Clique em OK

OBS. Lembrando que em nosso exemplo estamos liberando o RDP para toda a rede interna para o ISA SERVER 2006. E o recomendado é o acesso mais restrito possível, ou seja, Liberar o acesso somente para os computadores dos administradores do ISA Server.

liberandots05

Agora vamos aplicar as novas configurações.

1- Clique em Apply.

2 – Clique em OK.

liberandots06

 

Duvidas ou sugestões?

Comentem.

By Felipe Fazzani

INSTALANDO O ISA SERVER 2006 STANDARD COMO EDGE

 FALA PESSOAL.

Hoje estou aqui para mostrar como instalar o ISA SERVER 2006 STANDARD EDTION atuando com EDGE (FIREWALL E PROXY).

Requisitos.

Software.

Active Directory

DNS

DHCP

Windows server 2003 SP1 atualizado.

Conhecimento Necessario.

-Windows Server 2003

-Active Directory

-DNS

 

O que esse tutorial aborda?

– Implementação do ISA SERVER 2006 STANDARD EDITION como EDGE Firewall

– Aumento da segurança da rede Externa ISA SERVER 2006.

-Criação de regra de firewall que libera o tráfego do servidor DNS para internet.

-Configuração de encaminhadores DNS.

 

Cenário

 

instalação isa 2006 como edge

 

Dominio MSFT.LOCAL

RANGE INTERNO 192.168.50.x/24

DEN-DC01 REDE INTERNA   DEN-ISA REDE INTERNA REDE EXTERNA
           
IP 192.168.50.1   IP 192.168.50.10 200.0.154.89
MASC 255.255.255.0   MASC 255.255.255.0 255.255.255.0
GAT 192.168.50.10   GAT EM BRANCO 200.0.154.1
DNS 192.168.50.1   DNS 192.168.50.1 EM BRANCO
           

Primeiramente vamos fazer a indentificação e configuração da placa de rede INTERNA e EXTERNA.

Com o host fora do dominio onde será instalado o ISA SERVER 2006.

 

Clique em iniciar, Painel de Controle, com o botão direito do mouse em conexões de rede, explorar.

ISA-imp.-01

 

Identifique as conexões de rede através dos nomes

Rede Interna

Rede Externa

 

ISA-imp.-03

Agora vamos deixar a conexão de rede interna como preferencial.

Clique no menu avançado, Configurações avançadas.

ISA-imp.-04

 

Pode ser que a Rede Interna não esteja como preferencial. Como mostra a imagem abaixo.

Selecione a Rede interna e clique no botão indicado na imagem abaixo.

ISA-imp.-06

As configurações devem estar igual a imagem abaixo.

Clique em OK.

ISA-imp.-07

 

Agora vamos para as configurações da Rede Interna.

Clique com o botão direito do mouse em “Rede Interna” e em propriedades.

Você deve ter notado que o CheckBox de “Compartilhamentoarquivos/impressoras p/ rede..” está desabilitada. Isso melhora a segurança de conexão da rede interna. Mas se desativado você não conseguirá acessar as pastas compartilhadas na rede através do “Host ISA”

ISA-imp.-08

Agora clique “Protocolo TCP/IP” propriedades.

Configure Endereço IP, Máscara de Sub-rede, e DNS.

Clique em OK e novamente em OK.

ISA-imp.-09

Agora vamos configurar e aumentar a seguraça da conexão de rede externa.

Clique com o botão direito do mouse em Rede Externa. Agora clique em propriedades.

Desmarque o CheckBox:

Cliente para redes Microsoft.

Compartilhamento arquivos/impressoras…

Agora selecione “Protocolo TCP/IP” e clique no botão Propriedades.

ISA-imp.-10

Configure os IPs seguindo o exemplo da imagem abaixo.

Atenção: Não configure o DNS

Clique em avançado.

ISA-imp.-11

Na guia “DNS”

Desmarque os checkboxs: “Acrescentar sufixos pai do sufixos pai…” e “Registrar os endereços…

Igual a imagem abaixo. Agora clique a Aba WINS.

ISA-imp.-12

Na guia WINS.

Desmarque o cheqbox: Ativar pesquisa de LMHOSTS e Desative NetBios sobre TCP/IP igual a imagem abaixo. Clique em OK e OK  novamente.

Feche as conexões de rede.

ISA-imp.-13

Agora já configurada as conexões de rede e segurança da placa de rede externa. Vamos adicionar a máquina no domínio.

Clique com o botão direito do mouse em Computador, propriedades.

Entre na aba “Nome do Computador” clique em alterar.

Altere o nome do computador para DEN-ISA1, e adcione ao domínio como mostra o exemplo da imagem abaixo.

ISA-imp.-14

Após o  Windows reiniciado e no domínio. Faça logon com uma conta de usuário que pertence ao grupo “Administradores do domínio”. No exemplo usamos a conta de Administrador.

ISA-imp.-15

Agora coloque o CD ou execute a imagem ISO do ISA Server 2006 Standard Edition.

Clique em Install ISA Server 2006.

ISA-imp.-16

Clique em Next.

ISA-imp.-17

Aceite os termos do contrato e clique em next.

ISA-imp.-18

Coloque o serial do produto e clique em Next.

ISA-imp.-19

Clique em Typical e Next.

ISA-imp.-20

Clique em Add Range e adicione o range interno como o exemplo da imagem abaixo.

Importante: Coloque o range completo da rede interna desde a rede “0” até o broadcast “255” como o exemplo da imagem abaixo.

ISA-imp.-21

 

Clique em Next.

OBS. Se houver o firewall client do ISA Server 2004 instalado em um dos computares clientes selecione “Allow non-encryted firewall Cliente connecions”.

ISA-imp.-22

Clique em Next.

ISA-imp.-23

Clique em Install e a instalação irá começar.

ISA-imp.-24

 

Após a instalação finalizar irá aparecer a tela abaixo. Clique em Finish para finalizar a instalação.

ISA-imp.-26

Com o ISA Server 2006 instalado iremos verificar se a instalação foi bem sucedida.

Entre no iniciar, executar e digite “Services.msc” e precione a Tecla enter. Irá abrir o console de Serviços. Verifique se existe os serviços e os estado dos mesmos.

Os novos serviços e estados são:

Serviços Estado dos Serviços
   
Micfrosoft Firewall Start
Microsoft ISA Server Control Start
Microsoft ISA Server Job Scheduler Start
Microsoft ISA Server Storage Start
MSSQL$MSFW Start
MSSQLServerADHelper Em branco

 

ISA-imp.-27

Após verificados os serviços e os estados feche o console de Serviços.

Entre em %systemroot%\temp aqui você pode verificar os log de instalação do ISA Server 2006 e checar se houve algum erro.

ISA-imp.-28

No no event viewer você pode verificar se os serviços referente ao ISA Server foram iniciados com sucesso como mostra o exemplo da imagem abaixo.

ISA-imp.-29

 

Agora entre no console do ISA Server 2006. Como mostra a imagem abaixo.

ISA-imp.-30

E iremos fazer as primeiras configurações do ISA Server 2006. Que são as configurações das propriedades da rede interna.

Clique em Network e com o botão do mouse clique em rede interna, propriedade.

 

ISA-imp.-31

1- Clique na aba “Domains”

2- Add

3- Browse…

4- Selecione o sufixo dns da rede interna.

5- Clique em OK

6 –OK

ISA-imp.-32

Clique em OK.

ISA-imp.-33

Clique no botão Apply para aplicar as novas configurações.

ISA-imp.-34

Agora iremos criar a primeira regra de firewall do ISA Server 2006.

Essa regra irá liberar no Servidor de DNS Interno sair para internet para fazer pesquisas DNS.

Clique em Firewall Policy.

Novo – Acess Rule.

ISA-imp.-35

Defina uma nome para regra.

Em nosso exemplo usamos Libera DNS DEN-DC01 p/ Externo.

Clique em Next.

ISA-imp.-36 

Selecione Allow e  clique em Next.

ISA-imp.-37

Agora iremos definir o tipo de protocolo que iremos liberar para sair através do ISA Server 2006 para internert. Nesse caso o protocolo “DNS”

1- Selecione Selected protocols.

2- clique em add.

3 – Selecione DNS.

4 – clique em add.

5 – Close.

6 – Avançar.

OBS. Há diferença entre o protoloco “DNS” e “DNS Server”. DNS é um o protocolo outbound (saida) e DNS Server protocolo de inbound (entrada). Não confundir na hora de criar a regra.

ISA-imp.-38

Agora iremos criar o objeto de computador no ISA que irá representar o DEN-DC01 que também é nosso servidor DNS.

1- Clique em add.

2- New.

3- Computer

ISA-imp.-39

1- Digite DEN-DC01

2- Adicione o IP do DEN-DC01.

3- Clique em OK.

ISA-imp.-40

1-  Selecione o Objeto de computador DEN-DC01.

2- clique em add.

3- Close.

4. Next

Aqui definimos qual será a origem do trafego.

ISA-imp.-41

Agora iremos definir o destino.

1- Clique em add

2- Clique em External.

3 – Clique em add.

4. Close

5- Next.

ISA-imp.-42

Clique em Next.

ISA-imp.-43

Clique em concluir.

ISA-imp.-44

 

Agora clique em apply para aplicar as novas configurações.

ISA-imp.-45

Agora no Servidor DEN-DC01 iremos configurar encaminhadores DNS, para que nosso servidor DNS interno solicite ao servidor DNS Externo da empresa que nos fornece o serviço de internet resolva os nomes DNS.

Clique em iniciar, Ferramentas administrativas, DNS.

ISA-imp.-46

No console DNS. Clique com o botão direito do mouse no Servidor DNS e depois em propriedades.

ISA-imp.-47

Clique na aba encaminhadores adicione os IPs dos Servidores DNS externo e clique em OK.

Em nosso exemplo usamos os servidores DNS da telefônica. Caso você seja assinante de outra operadora não adicione os DNS Telefônica e sim de sua prestadores de Serviços Internet ou outro servidor DNS Externo público como o 8.8.8.8 da google.

ISA-imp.-48

Finalizamos a instalação e as configurações iniciais de nosso ISA Server 2006.

Dúvidas ou sugestões??

Comente aqui!!

By FEIPE FAZZANI

1 2